cruelty free

Cruelty Free: entenda o que é e como impacta positivamente no mundo

Os cosméticos cruelty free são aqueles livres da exploração animal. Saiba como reconhecê-los e como eles impactam positivamente no mundo.

O cruelty free é uma tendência que vem crescendo e cada vez mais ganhando adeptos em todo o mundo, mas você sabe o que isso significa?

Em português, esse termo quer dizer “livre de crueldade” e diz respeito a todos os produtos que não usaram cobaias animais em seus testes.

Com as mudanças nos hábitos de consumo e alimentares, cada vez mais os consumidores têm se preocupado com o meio ambiente e o direito dos animais.

Eles buscam saber quais as origens do produtos, conhecer seus processos de produção, entre outros.

Na contramão destes movimentos, algumas empresas dizem ser cruelty free, mas ainda exploram animais em seus processos de produção.

Agora, se você deseja saber como identificar um produto livre de crueldade animal e quais são os seus impactos positivos para o mundo, continue lendo esse artigo que a Beauts preparou para você.

Qual a diferença entre o cruelty free e o vegan?

Embora ambos andem juntos, o cruelty free e o vegan (vegano) são conceitos com princípios diferentes.

O primeiro diz respeito àqueles produtos que não são testados ou envolvem animais em nenhuma fase de sua produção ou comercialização.

Já o segundo são os cosméticos que não tem nenhum ingrediente de origem animal em sua fórmula.

Desse modo, um produto pode ser livre de crueldade mas ter em sua composição leite ou mel, por exemplo.

Embora muitas empresas classifiquem seus produtos como sendo livres de crueldade, elas podem adquirir ingredientes de outros fornecedores que aplicam testes em cobaias.

Do mesmo modo, podem se submeter a testes devido às exigências de alguns países, como é o caso da China.

Portanto, um produto totalmente cruelty free precisa estar atento a toda a sua cadeia de produção e fornecedores.

Atualmente existem órgãos competentes capazes de certificar se um produto é cruelty free, alguns deles são:

O veganismo, por outro lado, é um estilo de vida em que as pessoas optam viver sem consumir nada que contenha origem animal.

Isso vale não só para alimentos, mas também para peças de vestuário, itens de higiene, cosméticos, entre outros.

Os veganos são contra todas as formas de exploração e crueldade com os animais, logo, qualquer produto vegan é necessariamente cruelty free.

Veja abaixo alguns selos que certificam produtos veganos:

Cruelty Free e os dermocosméticos

Embora já existam métodos alternativos para substituir testes em cobaias, como cultura de células e tecidos artificiais, cerca de 115 milhões de animais ainda são testados no mundo anualmente.

Esses testes são realizados desde que os estudos nas áreas de anatomia e fisiologia começaram a se desenvolver.

Ao longo dos anos, a indústria farmacêutica e de cosméticos passaram a adotar essa prática para avaliar a reação dos produtos nos humanos, como a sensibilidade a algum componente.

Entretanto, eles submetem os animais a maus tratos (como procedimentos cirúrgicos sem anestesia e agulhadas) e depois os sacrificam.

O sofrimento é tanto, que muitos acabam morrendo no cativeiro.

Na década de 70, esse cenário começou a mudar com o surgimento de movimentos e ativistas contrários a esse tipo de crueldade.

Por isso, nos últimos anos, muitas empresas passaram a adotar uma produção totalmente cruelty free. Isso é possível, principalmente, pela evolução tecnológica e o surgimento de métodos alternativos com eficácia comprovada.

Quais animais são utilizados nos testes laboratoriais?

Geralmente, os ratos e camundongos são os animais mais usados em testes laboratoriais sob a justificativa que eles possuem características genéticas semelhantes às dos humanos.

Entretanto, essa escolha muitas vezes é feita com base na conveniência e no baixo custo.

Ainda assim, macacos, coelhos, porquinhos-da-índia, porcos, cães e até baratas são usados em testes que atestam a segurança e a ação de alguns cosméticos.

Países que obrigam teste em animais para dermocosméticos

Até 2019, a China era o único país que obrigava testes em animais para avaliar a segurança dos produtos de beleza aos humanos antes de sua comercialização.

Desse modo, era verificado como certos ingredientes afetavam a capacidade de reprodução humana ou se elas podiam provocar câncer.

Assim, muitas empresas seguiam testando seus produtos em animais interessadas em explorar o mercado chinês, mesmo que não usasse mais cobaias em seus processos produtivos.

Por outro lado, outras acabavam usando a legislação do país para sustentar suas etapas produtivas que ainda usam esse tipo de teste.

Em 2020, o governo chinês revogou a obrigatoriedade do uso de animais em testes de produtos de beleza e higiene pessoal.

Essa decisão só foi possível após muita negociação e trabalho entre o Instituto de Ciências In Vitro (IIVS) e a Associação Nacional de Produtos Médicos da China (NMPA).

De acordo com a Humane Society International, os cosméticos “comuns” (xampus, maquiagens, perfumes, cuidados para cabelos, entre outros) importados não seriam mais testados em cobaias para serem comercializados no país a partir do dia 1º de janeiro deste ano.

Embora este represente um grande passo na luta pelos direitos dos animais, ele não significa que os testes irão acabar de uma vez por todas no país.

Primeiro porque os cosméticos de uso especial, como para crescimento de cabelo, protetor solar, clareadores de manchas, entre outros, estão fora dessa nova legislação.

Depois, porque o país pode submeter esses produtos a testes pós-comercialização mesmo com a proibição.

Países que não aceitam teste em animais

Austrália, Israel, Índia, Guatemala, Noruega, Nova Zelândia, Suíça e Turquia proibiram totalmente os testes em animais.

Já a União Europeia tem uma lei que proíbe a comercialização de cosméticos que usam cobaias em seus testes, exceto se um ingrediente específico não puder ser substituído.

Ainda assim, os deputados do Comitê do Meio Ambiente afirmaram, em 2018, que o bloco lançaria uma campanha diplomática para proibir os testes em animais na indústria de cosméticos até 2023.

No Brasil, o Projeto de Lei da Câmara n° 70, de 2014 proíbe o uso de bichos em atividades de ensino e pesquisas laboratoriais.

Ele ainda impede a comercialização dos produtos testados em animais e incentiva o uso de métodos alternativos para avaliar a segurança desses itens, sob pena de multa.

Apesar disso, o PL tramita no Senado simultaneamente com os projetos de lei 438/13 e 45/14, que também buscam acabar com essa crueldade.

Por causa da Lei Estadual 15.316/2014, o estado de São Paulo proíbe teste em animais desde 2014.

Movimento mundial em prol da proibição de testes em animais

A procura por cosméticos cruelty free tem crescido juntamente com a preocupação de que esses produtos respeitem não só os animais, mas também todo o meio ambiente.

Ativistas, ONGs e marcas têm se juntando para incentivar a adoção de práticas responsáveis e campanhas que impeçam o uso de animais em testes laboratoriais, a fim de que o mundo se desenvolva de forma sustentável.

Em novembro de 2020, membros da rede Cruelty Free Europe se juntaram a outros líderes de proteção animal do continente para solicitar apoio para que o uso de cobaias por meio da indústria de cosméticos seja proibido em todo o bloco.

A Cruelty Free International é uma das organizações não-governamentais que lideram esforços para acabar com os testes com animais no mundo todo.

Ela foi uma das apoiadoras da campanha internacional Para Sempre Contra Testes em Animais.

O objetivo era alcançar o apoio de oito milhões de pessoas e levar o documento à Organização das Nações Unidas (ONU) a fim de influenciar a mudança na legislação de seus 189 países signatários.

Ao mesmo tempo que o movimento cruelty free cresce e ganha mais adeptos, o consumo de cosméticos orgânicos, conscientes e sustentáveis também.

Cada vez mais o consumidor busca por marcas que se preocupem com seus efeitos no meu ambiente e, que para isso, prezam por ingredientes de origem vegetal e limpos.

Todos os produtos Beauts são Cruelty Free?

A ética, transparência e a compaixão pelas pessoas, animais e pelo Planeta fazem parte dos valores da Beauts. Nossa marca busca oferecer cosméticos limpos e livres de ingredientes tóxicos usando, para isso, o poder da biotecnologia.

Logo todos os nossos produtos são veganos e cruelty free, certificados pela PeTA que garante que eles são livres de quaisquer ingredientes de origem animal, como mel, cera de abelha ou carmim.

Além disso, todos os processos de produção, direta ou indiretamente (terceirizados), não incluem testes em animais.

A Beauts ainda conta com os seguintes selos de certificação:

  • Non-Toxic Ingredients;
  • Paraben e Sulfate Free;
  • Natural and Organic Production;
  • Eureciclo – que garante a compensação ambiental de 100% das embalagens;
  • IBD Ingredientes Naturais.
  • IBD Orgânico

Autênticas e limpas, as fórmulas dos produtos da marca beauts possuem ativos naturais e orgânicos, ou seja, trata a pele valorizando a saúde, o bem-estar, mas sem prejudicar o organismo e o meio ambiente.

Agora, se você deseja conhecer mais sobre o universo dos produtos não tóxicos e feitos com ativos naturais, baixe agora o nosso Guia de Clean Beauts, desenvolvido especialmente para você .

Deixar um comentário

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.