comedogênico

Afinal, o que é comedogênico e não comedogênico?

Você comprou um cosmético e viu na embalagem que ele é não comedogênico, mas você sabe realmente o que é isso? Entenda mais sobre esse assunto!

Saber se um ingrediente é ou não comedogênico é algo que faz parte da rotina de cuidados de muitas pessoas. Afinal, certas substâncias podem obstruir os poros e provocar cravos. 🥰

Nesse sentido, vários cosméticos trazem esse tipo de informação em suas embalagens. No entanto, um óleo que não te causa espinhas pode ter o efeito completamente diferente para a sua amiga e vice e versa. Logo, essa discussão é muito mais complexa.

Ficou com dúvidas sobre o tema? Então vem aprender com a gente o que é comedogênico e todos os principais pontos em volta desse tema!

O que é um ingrediente comedogênico e um não comedogênico?

Esse termo vem da palavra comedão, que nada mais é que a obstrução dos folículos da pele por queratina e sebo. Dessa maneira, um ingrediente comedogênico é aquele que tem a capacidade de entupir os poros, o que estimula a produção de cravos e espinhas.

Já um ativo não comedogênico, é aquele que dificilmente entope os folículos. Desse modo, eles são indicados, principalmente, para quem tem pele oleosa acneica ou mista. 🥰

Ainda assim, é importante destacar que outros fatores, como alimentação e rotina de cuidados, influenciam na saúde da pele. Logo, não adianta só evitar cosméticos que tenham ingredientes que podem obstruir os poros e não usar protetor solar ou hidratar a pele do rosto corretamente.

Exemplos de ingredientes comedogênicos

  • Óleo de linhaça
  • Manteiga de cacau
  • Óleo de coco
  • Manteiga de coco
  • Óleo de gérmen de trigo

Exemplos de ingredientes não comedogênicos

Os ingredientes não comedogênicos mais comuns são o extrato de camomila, a glicerina vegetal e os seguintes óleos:

  • Abacate;
  • Amêndoas;
  • Cártamo;
  • Carnaúba;
  • Girassol;
  • Jojoba;
  • Milho;
  • Semente de Damasco;
  • Oliva
  • Semente de gergelim;
  • Entre outros.

Como saber o índice comedogênico dos ingredientes?

Se você realizar uma rápida pesquisa na internet irá encontrar diversas tabelas com o índice de comedogenicidade dos ingredientes. A classificação vai de 0 – 5, sendo que:

  • 0 são aqueles que não entopem os poros;
  • de 2 – 3 são moderados;
  • 4-5 facilitam a formação de comedões e espinhas. 🕵️

O grau comedogênico dos ingredientes começou a ser estudado no final da década de 70 pelo dermatologista Albert Kligman. Em 1979, ele passou a testar alguns ingredientes na parte interna da orelha de coelhos durante cinco dias por semana (total de três semanas). Dessa forma, ele classificou os ativos em uma escala de 0 a 5. 😱

Contudo, além da questão ética, a pele do animal é mais sensível que a do ser humano. Por isso, muitos estudiosos questionaram a validade do método do Kligman. Ele próprio reconheceu, em 1996, que o seu método gerava conclusões contraditórias se comparado com outros estudos.

A Beauts, por exemplo, é uma das empresas de clean beauty que são contra testes em animais de qualquer tipo de produto.

Outra forma para classificar essas substâncias consiste em aplicar o ingrediente diretamente nas costas de uma pessoa e cobri-lo durante quatro a oito semanas. Em seguida, é realizada uma biópsia. No entanto, esse tipo de método também não é tão confiável.

Primeiramente, porque a pele deste local e do seu rosto são bem diferentes. Depois, você acaba expondo muito mais a face à luz solar e poluição do que as costas. Por fim, a maioria dos testes são realizados com ingredientes isolados, o que não acontece na prática. Afinal, os cosméticos são compostos por mais de uma substância. 🧐

Além disso, existem outras questões que impactam na hora de classificar um ingrediente comedogênico ou não, como:

  • Tipo de pele e do organismo;
  • Fatores ambientais;
  • Quantidade da aplicação;
  • Clima e temperatura;
  • Entre outros.

Como escolher meu cosmético?

E agora, como saber qual ingrediente posso usar se a classificação de comedogenicidade tem tantos poréns?

Primeiramente, conheça o seu tipo de pele. Depois, na hora de comprar um cosmético ou mesmo um óleo vegetal, analise outros fatores, como composição e textura.

Os óleos mais leves e não comedogênicos são mais indicados para quem tem pele oleosa, como o de semente de uva, de rosa mosqueta e de jojoba. Esse último é indicado para todos os tipos, pois ele reduz a inflamação e a produção de sebo. 🧐

Já quem tem pele seca e sem tendência a acne pode usar óleos com alto teor de ácido oleico, pois eles hidratam mais a pele. Portanto, invista em óleo de amêndoas, óleo de avelã, de abacate e até manteiga de karité e cacau (se for muito seca).

Para as pessoas de pele normal, o mais indicado é ingredientes que promovem uma leve hidratação, como o óleo de argan, de cereja, bem como de jojoba e de girassol. 🥰

Agora, se você tem pele mista, pode apostar o óleo de semente de damasco, óleo de moringa, de jojoba e de argan. Se ela é sensível, prefira óleos puros, sem aditivos ou fragrâncias, como o de semente de mamão, pêssego e amêndoa.

Ainda assim, é fundamental testar os óleos em sua rotina para saber como seu organismo lida com ele. Se você tem pele oleosa, teste em uma pequena região do rosto para saber se ele provoca cravos ou espinhas. 💖

E os produtos Beauts, são comedogênicos?

A Beauts desenvolve produtos clean beauty de alta performance que estuda minuciosamente a concentração dos ativos e a segurança de cada um dos ingredientes usados em suas fórmulas. Nesse sentido, opta por usar substâncias livres de toxicidades e não comedogênicas.

Entre os óleos usados pela marca estão:

  • Arroz (Lummi) – além de não obstruir os poros, esse óleo tem poder anti-inflamatório e antioxidante, por isso auxilia no tratamento de dermatites e evita inflamações. 🥰
  • Melaleuca (Smart) – ele é antisséptico e antibacteriano e, dessa forma, combate a bactéria responsável por causar a acne (propionibacterium acnes). Além disso, o óleo de melaleuca ajuda a limpar profundamente os poros.
  • Óleo de Macadâmia (Thai detox) – rico em ácidos graxos como o Ômega 9 e o 6, além de possuir uma composição muito próxima a do sebo produzido naturalmente pela pele humana. Logo, ele nutre bem a pele, estimula a circulação e atenua cicatrizes.
  • SOS: O óleo SOS é um conjunto de óleos nobres que, graças ao seu poder nutritivo e regenerador, pode ser usado em diferentes partes do corpo, bastante rico em vitaminas como ômega 3, 6 e 9.
  • Pracaxi (Lummi) – Esse óleo é rico em vitamina E e ácido beénico, um ácido graxo raro que tem alto poder hidratante. Logo ele possui propriedades anti-inflamatórias e anti séptica natural e ajuda a tratar manchas escuras, acne e psoríase. 🧐
  • Rosa Mosqueta (Lummi) – é classificado como 1 no grau de comedogenicidade, logo não provoca obstrução dos poros. Por outro lado, ele tem alta concentração de ácido oleico, linoleico e vitamina A, que ajuda na regeneração da pele e estimula a produção de colágeno.

Agora, se você quer aprender a cuidar da pele com ingredientes seguros e beleza limpa, leia agora nosso Guia de Clean Beauty. Ele foi feito especialmente para você. 💖

Deixar um comentário

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.